Noticiário Comentado

As Várias Encarnações de Winston Smith

No romance 1984, George Orwell descreve um mundo sombrio em que foi suprimida não apenas a liberdade como direito, mas também como possibilidade. Todos os indivíduos se submetem ao que determina o Grande Irmão, embora ignorem sua própria submissão. Doutrinados desde criança, apenas sabem o que o Grande Irmão ensina, apenas acreditam no que ele diz. Winston Smith, personagem principal da obra, é exceção, embora provisória. Seu trabalho no Departamento de Arquivo do Ministério da Verdade abre-lhe os olhos para a falsificação da realidade a que estão todos submetidos. Winston edita notícias antigas para acomodá-las aos novos “fatos” ditados pelo Grande Irmão e seus tecnocratas. Além dos donos do poder, Winston é um dos poucos que, por sua posição peculiar, sabe que tudo que se publica é falso, deformado para atender a quem manda de verdade.

Não vivemos num mundo como de Winston Smith. A distopia de George Orwell foi baseada no totalitarismo soviético, ao menos por ora enterrado. Mas, aqui e acolá, repercutem em nosso cotidiano algumas das situações descritas no livro. Como reencarnações de Winston Smith, vemos veículos de imprensa e jornalistas engajados atuando como se fossem o Ministério da Verdade e seus editores de arquivos.

Vejamos um exemplo recente, exposto pela revista Reason. Segundo a revista, o jornal Washington Post publicou, em 2019, uma matéria sobre a campanha da então pré-candidata democrata a Presidência dos Estados Unidos Kamala Harris. Na época, não pareceu aos editores que mencionar piadas politicamente incorretas contadas pela candidata seria indesejável. Talvez até tenham se divertido ao expor a então senadora, já que ela não tinha qualquer possibilidade de ganhar a disputa. Mas o mundo dá voltas e Kamala Harris se tornou a candidata democrata a vice-presidente, cuja chapa com Joe Biden passou a ter o apoio militante do Washington Post, tornando-se finalmente vencedora nas eleições de 2020.

Que fazer então com a reportagem indesejável? Ora, nada mais simples. Mande-a a um dos editores de arquivos para adaptá-la às necessidades do momento e tudo estará bem. Foi o que fizeram, extirpando da peça tudo de que a retratada pudesse não gostar. Indagados pela reportagem da Reason sobre onde estaria disponível a versão original do texto, os representantes do Washington Post foram irônicos. “A história original continua disponível na versão impressa.” Que alívio! Em 1984, até o material impresso era reeditado.

Duas versões da mesma matéria, a original e a adaptada:

Versão original da matéria
Versão com o título adaptado para não prejudicar Fernando Haddad

Casos parecidos também ocorrem no Brasil. Por exemplo, em 2011, Fernando Haddad era ministro da Educação do governo Dilma Rousseff. Naquele ano, houve grande polêmica a respeito de cartilha de educação sexual adotada pelo governo para educação de crianças em escolas públicas, apelidada de kit gay. A revista Veja publicou, na época, matéria sobre o assunto, com o título “‘Kit gay’ será reformulado e lançado até fim do ano, diz Haddad”. Em outubro de 2018, quando Haddad disputava com Jair Bolsonaro a Presidência da República, a revista modificou o título da reportagem, removendo o nome de Haddad e incluindo o de Dilma. A revista adicionou a seguinte nota à reportagem: “Esta matéria, publicada em maio de 2011, foi atualizada no dia 13 de outubro de 2018 para a inclusão no título da expressão ‘Governo Dilma’”. A nota diz apenas que o nome da presidente foi adicionado, sem mencionar a exclusão do nome do candidato. O endereço eletrônico da reportagem, no entanto, ainda guarda o título original. Como quase toda a massa de usuários das redes sociais não passa da leitura da manchete, a mudança do título de uma reportagem já é suficiente para reduzir drasticamente o interesse por sua propagação.

Ah, faltou contar o que aconteceu com Winston. No final, esmagado pela força insuportável do Estado opressor, ele se dobra, humilhado, emasculado e convertido em súdito obediente do Grande Irmão.

Inscreva-se em minha newsletter:

Receba artigos selecionados sobre política, cultura e sociedade.

Assinatura recebida!

Verifique seu e-mail e confirme a assinatura do boletim informativo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s